Para os fanáticos por cerveja, outubro é sinônimo de comemoração. É nesse mês que acontece o principal evento cervejeiro do planeta, mobilizando milhões de apreciadores da bebida em todos os continentes. O berço da festa, porém, é mesmo a Alemanha, onde a Oktoberfest significa não só prazer e diversão em torno dos barris e canecas, mas também história, tradição e legado.

Muita gente associa o termo Oktoberfest ao seu aspecto festivo, pensando mais em farra do que na cultura cervejeira. É fato que as edições mais populares da festa reúnem frequentadores que preferem quantidade à qualidade, e que há um predomínio das cervejarias industriais. Mas o apreciador da cerveja artesanal também pode encontrar seu lugar para curtir.

Vale lembrar, afinal, que a cerveja está no centro das atenções e foi o elemento que consagrou o evento ao longo do tempo. Comemorada pela primeira vez em 1810, a Oktoberfest só adotou a cerveja como bebida oficial mais de um século depois, em 1918. Desde então, ela se transformou na grande estrela da festa, que foi ficando cada vez maior e mais popular.

Do casamento real à festa das multidões

Um elemento da própria história da cerveja foi fundamental para transformar a Oktoberfest em uma festa que atrai multidões. A origem do evento é a celebração do casamento do rei Luís I da Baviera e da princesa Teresa da Saxônia. A família real decidiu que a população de Munique deveria participar da comemoração e promoveu um festival com desfiles de cavalos, música, comida e bebida.

Conforme os relatos da época, a festa deveria durar alguns dias, mas acabou se estendendo pelo mês inteiro. O motivo: como não havia métodos de refrigeração para conservar a cerveja, seria preciso consumir todo o volume disponível para o evento, esvaziando os toneis para que os fabricantes reiniciassem a produção em seguida, nos meses de frio na Europa.

A festa passou a ser repetida anualmente e ganhou outras edições nas regiões vizinhas, deixando de ser um privilégio dos bávaros. E apesar da origem ligada à realeza, a Oktoberfest foi se espalhando – primeiro pela Alemanha, depois pela Europa, e finalmente pelo mundo – como uma grande comemoração popular da cerveja e dos fãs da bebida.

Tradições bávaras e estilos preferidos

Munique ainda é o epicentro da festa: a cada ano, cerca de 6 milhões de pessoas visitam a Oktoberfest bávara, consumindo pelo menos 7 milhões de litros de cerveja no total. A edição de 2020 teve de ser cancelada por causa da pandemia de coronavírus, uma das raríssimas ocasiões em que não houve a comemoração (como no período das Grandes Guerras e durante um surto de cólera).

Na Oktoberfest bávara, assim como nas demais cidades alemãs que promovem o evento, as cervejas mais consumidas são as mais leves, de menor teor alcoólico – Dark Lager, Helles e Radler são os estilos oferecidos em Munique, acompanhados  de pratos como joelho de porco, chucrute e as tradicionais salsichas. A opção por cervejas de teor alcoólico baixo é fácil de entender: são consumidas grandes volumes da bebida, em canecas de até um litro, o que pede estilos mais leves.

Como você já deve saber, a popularização da festa não se limitou à Alemanha. As comunidades de imigrantes deram início às suas próprias versões da Oktoberfest em diversos países – com algumas peculiaridades locais, é claro, mas sempre com a cerveja como foco principal. Estados Unidos, Canadá e Austrália estão entre os países que realizam grandes edições do evento.

A Oktoberfest ao gosto do brasileiro

Em meio a todas as versões internacionais da festa, uma das mais consagradas acontece no Brasil. A Oktoberfest de Blumenau costuma ser a segunda maior do mundo, perdendo só para a de Munique. São cerca de 700.000 pessoas todos os anos, concentradas na Vila Germânica. Além de Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul também festejam a Oktoberfest em grande estilo.

Por valorizar a cultura cervejeira e todas as tradições que envolvem a bebida, a Tábuas também costuma marcar o mês de outubro com essa comemoração à moda bávara, com direito a comidas típicas alemãs e à degustação de estilos característicos da região – no nosso caso, porém, com cervejas frescas artesanais, e não as produzidas em escala industrial.

Se você quer marcar o mês da Oktoberfest curtindo uma boa cerveja, venha conhecer o taproom da Tábuas, que fica na Rua Tereza Zogbi Geraij Mokarzel, 33, em Barão Geraldo, Campinas. Caso preferir, você também pode fazer seu pedido pelo telefone, pelo nosso aplicativo de delivery ou através da nossa loja virtual. Escolha a melhor opção para você e receba a cerveja artesanal de sua preferência.